domingo, 8 de janeiro de 2017

O Jonas manda perguntar se a culpa ainda é do Benfica






Tarde e a más horas vos escrevo isto, numa noite em que o Benfica aumentou a vantagem para o segundo. Jonas regressou à titularidade na liga e reatou o bromance com Mitroglou, no dia em que o Vitória chegou finalmente a uma final da Champions, apesar de ter caído em casa.

Ederson: tão calmo e seguro que resolveu experimentar durante os primeiros minutos a capacidade dos jogadores vimaranenses dominarem os seus pontapés. Tirando isso, tudo o que veio às mãos foi dele.

Nelson Semedo: viu um amarelo e contemplou durante longos segundos se reclamar seria a melhor opção, nunca se decidindo. Está diretamente ligado ao 2-0, quando recuperou a bola, o que rapidamente provocou em Soares uma qualquer lesão na zona da camisola.

Luisão: Com Maldini, Nesta e Luisão num plantel, para Rui Vitória a questão seria sempre quem acompanharia o brasileiro no centro da defesa. O que, tendo em conta este jogo, nem seria uma tão má decisão assim. O capitão do Benfica esteve certinho e voltou a mostrar excelentes níveis de aderência ao chão.

Lindelof: provocou uma rotura de camisola em Soares no lance do golo do Benfica, tendo visto amarelo enquanto os seus colegas festejavam. Passou a segunda-parte a testar o pontapé de Ederson, que se revelou bem mais acertado do que no primeiro tempo.

André Almeida: confesso que escrevi e apaguei vezes sem conta este parágrafo, porque não posso andar a escrever o mesmo todas as semanas. Mas a verdade é que André Almeida foi o que é sempre: competente. E quando assim é, não se pode pedir mais,

Fejsa: ganhou o estatuto de herói, quando fez o que os heróis fazem: sacrificar a sua frágil composição física em prol dos outros, quando arrisca um fantástico carrinho num contra-ataque do Vitória. Saiu depois disso, mas parece ter deixado boas indicações aos benfiquistas: se 2017 não vai ser diferente em termos de lesões, também não o deverá ser em termos de currículo para o sérvio.

Pizzi: quando tens a capacidade de ver dois sítios diferentes ao mesmo tempo, deve ser sempre mais agradável quando num desses locais se encontra Jonas. Pizzi não passou o jogo todo de sorriso rasgado com a bola nos pés, porque isso seria um pouco estranho e indicaria provavelmente uma lesão no maxilar, mas bem que pareceu...

Salvio: haveria gente que já nem se lembrava que Salvio estava lesionado, ou que tinha sido convocado. Konan tenta a todo o custo descobrir quem raio é essa entidade à qual chamam "Toto" e porque raio sentiu um fantasma passar por ele ao minuto 19 da partida.

Cervi: tem tudo o que um gajo espera num argentino. É pequeno, é bom de bola e tem um penteado estranho. Depois junta a isso a capacidade de defender e a agressividade de 30 jogadores do Vitória e ficamos eternamente agradecidos pela única corrida que o Sporting de Bruno de Carvalho ganhou ao Benfica ter sido a de Jorge Jesus.

Jonas: lembrete diário do dia em que um tal de Nuno dispensou Jonas. A sério Jonas, deixa as lesões de lado, porque tudo é mais bonito quando te encontras em campo. Um golo, uma assistência e um novo rei em Guimarães...

Mitroglou: fez-me lembrar um daqueles vídeos em que um soldado chega a casa depois de vários meses fora e o seu cão vem agitado, saltando por toda a casa. Mitroglou viu Jonas e o mundo voltou a fazer sentido para o grego. Comparei-o a um cão? Sim. Os cães são adoráveis e, foda-se, o Mitroglou a marcar golos também!

Samaris: o melhor elogio que se pode fazer é que não se notou a ausência de Fejsa depois de Samaris entrar em campo. O que, acreditem, está bem lá em cima no top dos elogios juntamente com "És a melhor pessoa do Mundo" e "Gosto tanto de ti como o André Silva gosta de cair".

André Horta: entrou para dar a Jonas o descanso que só ele merece e segurar a bola. Tenho saudades de o ver atropelar Cervi, façam isso acontecer por favor.

Zivkovic: "este é aquele gajo que fez 3 assistências no último jogo e sofreu um penalty que o árbitro transformou em livre, de que eu vos falei" diz o benfiquista ao sportinguista e portista, que parecem confusos com a segunda parte da frase, quase como se o benfiquista tivesse acabado de inventar uma nova língua.

3 comentários:

  1. Claro que a culpa é do Benfica. Da classe benfiquista.
    E já agora o que o Mitroglou me parece é um puto que reencontrou o seu amigo de brincadeira. E é uma maravilha vê-los brincar.

    ResponderEliminar

Insultem e javardem para aí. Mas se sujarem isto depois limpam, ok?